Igualdade de gênero Igualdade de gênero

Igualdade de gênero no trabalho: ações para promover na sua empresa

9 minutos para ler

A igualdade de gênero no trabalho é uma pauta urgente em empresas de todo o mundo e merece também a sua atenção.

Mesmo com a ampla participação feminina no mercado de trabalho, as mulheres ainda enfrentam discriminação e dificuldades para se manter no emprego e crescer profissionalmente.

Os motivos são inúmeros.

Podemos citar a desigualdade salarial em relação aos homens, o preconceito contra mães, o assédio sexual e moral, a dificuldade em conciliar a carreira com a vida pessoal e a falta de oportunidades na liderança, entre outras razões.

Por isso, se você ainda não implementou ações para promover a igualdade de gênero na sua empresa, este conteúdo tem tudo o que precisa saber.

Acompanhe os tópicos a seguir e veja como contribuir para melhorar esse cenário. 

O que é igualdade de gênero?

Igualdade de gênero é um conceito que garante direitos e oportunidades iguais para homens e mulheres.

Ele é um dos objetivos básicos dos programas de desenvolvimento sustentável e direitos humanos no mundo todo.

Afinal, é um pré-requisito para combater a discriminação contra as mulheres e ter uma sociedade mais justa.

No Brasil, a igualdade de gênero é o quinto objetivo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), considerado essencial para o crescimento econômico e o desenvolvimento social do país.

Fazem parte dessa causa o combate à violência contra a mulher, a luta pela paridade salarial e a luta por acesso universal à saúde sexual e reprodutiva, além de temas como representatividade política e liderança corporativa. 

Em um mundo ideal, a igualdade de gênero garantiria direitos e responsabilidades iguais para ambos os sexos, corrigindo o “gap” existente entre homens e mulheres nas esferas pública e privada. 

Apesar dos avanços, ainda há um longo caminho pela frente para alcançarmos esse objetivo. 

E a igualdade de gênero no trabalho?

No mercado de trabalho, a igualdade de gênero se traduz em salários iguais para homens e mulheres que exercem as mesmas funções e maior presença de mulheres na liderança.

Além disso, envolve questões como respeito aos direitos das colaboradoras, fim do preconceito com as mães, combate ao assédio sexual e moral, luta pelo reconhecimento e oportunidades iguais na carreira. 

Na prática, homens e mulheres devem ser tratados igualmente, mas o caminho para chegar a esse objetivo requer ações afirmativas para as mulheres. 

Isso porque elas foram inferiorizadas ao longo da história e tiveram seu acesso ao mercado de trabalho dificultado.

Culturalmente, era esperado que a mulher permanecesse em casa cuidando dos afazeres domésticos e dos filhos.

Mesmo com a entrada massiva delas na força de trabalho desde a Primeira Revolução Industrial, a verdade é que as mulheres sempre ganharam menos e foram submetidas a trabalhos mais precários do que os homens. 

Por muito tempo, os salários menores eram justificados pela crença de que o homem seria o “provedor” da família e, portanto, teria direito a ganhar mais pela mesma função.

No entanto, esse argumento não faz mais sentido hoje em dia, pois as mulheres já buscam sua independência financeira.

Inclusive, quase metade dos lares brasileiros são sustentados economicamente por mulheres, segundo uma pesquisa do Ipea, divulgada no Estado de Minas em 2020.

Ainda assim, a discriminação de mulheres persiste e a maioria dos cargos gerenciais permanecem ocupados por homens – o que justifica a agenda da igualdade de gênero.

Desafios da igualdade entre gêneros no ambiente corporativo

São vários os desafios enfrentados para garantir a igualdade de gênero no ambiente corporativo. 

De acordo com o relatório Global Gender Gap Report 2020, publicado pelo Fórum Econômico Mundial, ainda falta cerca de 100 anos para alcançarmos definitivamente a igualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho.

Hoje, as mulheres representam 38,8% da força de trabalho global, contra 61,2% de homens.

No Brasil, essa proporção é de 42% de mulheres e 58% de homens.

Mesmo com grande participação no mercado de trabalho, as mulheres ganham em média 19% menos que os homens para exercer a mesma função, segundo uma pesquisa da FGV, publicada em 2021 na CNN Brasil. 

Além disso, apenas 3% dos líderes empresariais brasileiros são mulheres, segundo um estudo da Bain & Company, publicado em 2020 no Estado de Minas.

Durante a pandemia, as mulheres foram as que mais perderam seus empregos: elas têm 24% mais chances de serem demitidas do que os homens durante uma crise, segundo um estudo de 2020, publicado no Catalyst. 

Isso ocorre principalmente por conta dos filhos, que ainda são vistos como responsabilidade exclusiva da mulher e tratados como um problema pelas empresas na hora de buscar um novo colaborador.

Esses e outros números mostram que as mulheres ainda ficam para trás na vida profissional – algo que só pode ser corrigido com uma mudança política e cultural nas empresas. 

Como promover a igualdade de gênero no trabalho

Promover a igualdade de gênero no trabalho é uma forma de contribuir com o desenvolvimento sustentável, melhorar a reputação da empresa e aumentar a produtividade.

Veja algumas estratégias para colocar essa ideia em prática na sua empresa.

1. Garanta a paridade salarial

A paridade salarial entre homens e mulheres no exercício da mesma função é um requisito básico nas políticas de RH.

Inclusive, o direito do trabalhador à equiparação salarial já assegura a isonomia nas remunerações para cargos com as mesmas funções e responsabilidades.

Por isso, é importante garantir que nenhuma mulher ganhe menos do que um homem fazendo o mesmo trabalho na sua empresa.

2. Crie um programa de liderança feminina

A falta de mulheres na liderança é um dos problemas crônicos das empresas – e não é por ausência de competência das profissionais.

Para equilibrar o cenário, você pode criar programas específicos para o desenvolvimento de lideranças femininas ou assegurar que metade dos futuros líderes da empresa em treinamento sejam mulheres. 

Em algumas empresas, é utilizado o sistema de cotas para mulheres ocuparem vagas na liderança.

De modo geral, toda empresa precisa de um programa de inclusão e diversidade que garanta uma equipe com diversos gêneros, origens, etnias e gerações. 

3. Ofereça creche ou auxílio-creche

Uma das formas mais eficientes de promover a igualdade de gênero na empresa é pensar nas mães na hora de formular as políticas de benefícios.

Como um dos grandes obstáculos para a carreira das mulheres é o cuidado com os filhos, cabe à empresa oferecer creche no local ou auxílio-creche para ajudar nessa questão.

Naturalmente, o pai também é responsável pelos filhos, mas não recai sobre ele a decisão entre atender à necessidade da criança ou permanecer no emprego. 

4. Ofereça flexibilidade

Oferecer horários flexíveis e opções de home office parcial ou integral é outra forma de fortalecer a igualdade de gênero dentro do ambiente de trabalho.

Dessa forma, as mulheres – e principalmente as mães – conseguem conciliar melhor a vida pessoal com a vida profissional, sem prejudicar nenhuma das duas. 

Além disso, a medida também favorece os homens e contribui para um clima organizacional mais positivo.

5. Tome medidas contra o assédio

O assédio sexual é um problema que afeta diretamente as mulheres e ameaça sua permanência e evolução no emprego.

Por isso, a empresa precisa ter um canal de denúncias eficiente e políticas de enfrentamento que preservem a vítima e afastem o agressor. 

Para além das medidas legais, é importante criar campanhas internas de conscientização para tornar o combate ao assédio parte da cultura organizacional

6. Inclua a igualdade de gênero nos valores

A igualdade de gênero deve fazer parte dos valores essenciais da empresa, para inspirar todos os colaboradores a adotarem essa visão. 

Para isso, você pode falar sobre o assunto nas reuniões, incluir medidas de combate à discriminação de gênero no código de conduta, promover campanhas de comunicação sobre o tema, entre outras ações.

O importante é que colaboradores, parceiros e clientes entendam que a igualdade entre homens e mulheres está no DNA do seu negócio e faz parte da cultura no dia a dia.

7. Mude o recrutamento e seleção

Infelizmente, a discriminação de gênero ainda está muito presente no processo de recrutamento e seleção.

Muitos recrutadores possuem vieses inconscientes que consideram as mulheres menos aptas para funções que exigem maior racionalidade e pensamento estratégico, por exemplo.

Outros discriminam mães com filhos pequenos ou mulheres que pretendem engravidar por conta dos supostos prejuízos à empresa com licença-maternidade ou saídas no horário comercial por causa de emergências com as crianças. 

Ambas as posturas devem ser combatidas e substituídas pelo recrutamento justo e sem diferenciação por gênero – apenas por competências e experiência.

8. Ouça suas colaboradoras

Por fim, ninguém melhor que as próprias mulheres para dizerem o que esperam da empresa no tema igualdade de gênero.

Para saber o que suas colaboradoras precisam e quais desafios enfrentam, você deve praticar a escuta ativa e ouvir atentamente as opiniões e necessidades desse público.

Só assim você saberá exatamente quais políticas implementar e como ajudar as mulheres a crescerem dentro da empresa sem o risco da discriminação. 

Anotou todas as dicas para garantir a igualdade de gênero no seu negócio?Agora é só colocar em prática o aprendizado e continuar acompanhando nossas dicas para uma empresa mais justa e próspera.

Posts relacionados

Deixe um comentário